Monday, March 27, 2017

[há dias assim] já não sofro sozinha

Desde o inicio do ano escolar que o R. anda na natação. Uma decisão minha, e por isso, sou eu que me encarrego de tudo, mesmo em semanas não. Assim, nas semanas não, vejo-o na mesma às terças e quintas feiras. Vou buscá-lo à escola, levo-o à natação, vejo a aula de longe, vou buscá-lo à piscina, enrolo-o na toalha e levo-o para os balneários onde lhe dou banho (ele toma banho sozinho, mas supervisiono). Conseguimos conversar um bocadinho, embora os diálogos em semana não corram sempre um bocadinho para o mal, mas fico a saber como correu o dia, o que fez e o que aprendeu. Parece pouco, mas é bem melhor do que antes. Como é que eu sei?

A semana passada foi semana não e não fomos à natação (por razões várias, não importantes para o caso!). Estou a morrer de saudades. Parece uma eternidade! Parecem anos! Falámos ao telefone, mas não é a mesma coisa. Sobre a escola sei imenso (privilégios especiais!) mas não o sei por ele, não posso chateá-lo com "então e o que aprendeste hoje?" ou "com quem brincaste?". 

E o pior, agora, é que não já sofro sozinha. Tem sido terrível ver o quanto o V. tem sofrido. Desde agarrar-se às fotos do irmão, a pedir 37 vezes por dia para ir para o quarto do irmão, deitar-se na almofada dele e ficar ali sossegadinho durante 3 minutos (o que para ele é uma eternidade!), querer tudo o que é do irmão e agarrar-se com unhas e dentes e se lho tirarmos chorar, mas chorar a sério com lágrimas e soluços. Se vê uma luzinha por baixo da porta do quarto (que tenho que manter fechada se não estava lá sempre) corre para lá, encosta-se à porta e bate e chama pelo mano e espera que ele lhe abra a porta! Se houve barulho na escadas corre para a porta da rua e fica à espera que alguém chegue. É desesperante.

Para melhorar tenho ido brincar para o quarto do R. com aqueles brinquedos maiores e que não se partem com tanta facilidade. Mas ele também quer os livros e os legos, e depois tenho que o tirar de lá à força e temos mais um choro.

Amanhã é dia de natação e vamos matar as saudades! (Sim, vão ser duas semanas não, porque esteve cá quase três semanas seguidas, sem ir ao pai!) Vai ser só um bocadinho pequenino, mas vai ajudar.

Odeio as semanas não! Continuo a odiá-las. Vou odiá-las para sempre.

Aquele beijo,
Ana